Projeto.

 

Para nós, as matérias respeitantes à intervenção tanto no espaço público bem como no edificado, sempre revelaram uma preocupação de inclusão.

Sempre procuramos garantir as condições de acessibilidade, conforto e segurança para todos os utilizadores dos espaços que projectamos e construímos.

Em todas as fases do processo de Projeto, na análise de qualquer Plano, na área da Formação ou em ações de sensibilização, são sempre tidas em consideração as mais minuciosas questões relacionadas com a acessibilidade de pessoas com mobilidade condicionada, para que sejam garantidos todos os pressupostos do Desenho Inclusivo.

Plano de acessibilidades de Lisboa - Ocidental
 
A António Mota, Susana Machado - Arquitetos Lda, venceu o concurso para a promoção das Acessibilidades na área ocidental de Lisboa.
 
Integrado no projeto Anda Lisboa o objetivo é Diagnosticar e Propor soluções de intervenção no Espaço Público com o objetivo de promover a Acessibilidade Pedonal em zonas específicas da Área Ocidental de Lisboa, abrangendo uma área de estudo de cerca de 2.336,00 hectares.

 

 

Ver mais.

Modelo de Instalação Sanitária Acessível.

 

Resultado de um concurso, foi atribuído à António Mota, Susana Machado - Arquitectos Lda., a elaboração do Manual para Modelo de Instalação Sanitária Acessível para todas as Escolas Básicas do 1º Ciclo da cidade de Lisboa.

 

A António Mota, Susana Machado - Arquitectos, Lda. congratula-se com o facto de, em última análise, contribuir para a redução das desigualdades entre a população escolar. Na esperança de contribuir para a implementação de uma consciência ativa na questão da acessibilidade e consequente integração completa de todas as crianças com mobilidade e cognição condicionadas.

 

Ver mais.

Análise das condições de acessibilidade em 9 equipamentos municipais de Lisboa.

 

Resultado de um concurso para a CMLisboa, este trabalho proporcionou a criação de uma equipa multidisciplinar agregando a ASM-arquitectos, a BioDesign e a SAMF-Arquitectos, tornando-se num desafio para a percepção dos 9 equipamentos analisados - 6 cemitérios e 3 jardins públicos.

 

O único trabalho aqui apresentado é o mais extenso de todos eles com uma área de quase 220.000,00 m2 (mais que o quarteirão do Chiado e da Praça do Comércio juntos).

 

Em todas as intervenções, o trabalho consistiu na criação de condições de acesso a toda a infra-estrutura para as pessoas com mobilidade condicionada, em função de dois tipos de análise:

1. O espaço público;

2. O acesso e circulação no interior dos edifícios.

 

Ver mais.

Lar de idosos - Funchal

 

Tratando-se da instalação de um Lar de idosos num edifício já existente, integrado num mais amplo complexo, este conjunto edificado é, necessariamente, organizado em pisos desnivelados, dada a complexa orografia.

Perante esta circustância, os edifícios existente e novo são comunicantes desde o estacionamento até ao novo corpo de quartos, passando pelo edifício existente.

Nesta requalificação/ampliação foram tidas em consideração todas as regras de acessibilidade bem como introduzidas muitas outras mais-valias para além do estipulado na legislação nacional.

 

Ver mais.

Lar de idosos - Vila Nova de Gaia

 

Perante o longo terreno disponível, foi clara a idéia de separar a área comum da área reservada.

Este pressuposto reservou, a norte, a zona de entrada para os diversos serviços de apoio ao funcionamento do lar, bem como os espaços de lazer e convívio.

No corpo a Sul instalaram-se todos os quartos, criando um pátio central, no qual seria suporto desenvolver as atividade lúdicas ao ar livre.

Mais a Sul, e numa área de reserva agrícola nacional, instalar-se-iam hortas e pomar para usufruto dos utentes.

 

Ver mais.

Largo Conselheiro António Cândido - Amarante

 

Neste complexo orgânico que, ao longo dos tempos, se consolidou na memória coletiva e no espaço público, vários elementos que o fazem funcionar foram integrados num contexto coerente sempre protegido pelo arquiteto.

A partir dessa idéia principal desenvolveram-se três sub-projetos:

   1. A composição formal e "mecânica" da praça, que resultou na redução do tráfego e melhoria das acessibilidades para pessoas com mobilidade condicionada;

   2. A descoberta e manutenção da ponte medieval, que não foi surpresa para nós, porque desde o início do projeto, suposemos ter existido naquele lugar uma antiga ponte da época medieval;

   3. Por último, o Centro de Informação Turística é o ponto de encontro de Amarante, integrado na rede de CITs da "Porto e Norte" de Portugal.

 

Ver mais.